sexta-feira, 20 de maio de 2011


Quero uma lei pra mim! Afinal, também sou minoria...

Acho que o que me motivou a abrir a matraca hoje pela manhã foi o show de horrores que a Rede TV apresentou ontem com a apresentação da Luciana Gimenez que por muitas vezes, não tem muito a fazer ante os debatedores que são convidados ao programa. Na noite de quinta 19/05, pude ver um travesti que é sucesso na internet falando baixarias de toda espécie, um gay querendo parecer inteligente que se levantava e dava lição de moral em todos, uma lésbica que diz que a bíblia não é a palavra de Deus, Aguinaldo Timóteo se irritando com a situação, Jair Bolsonaro conseguindo manter a calma e reagindo com bom humor mesmo quando era atacado pela “bancada homo”. Além desses, havia um religioso que pouco se manifestou e que não sei exatamente seu nome. O que importa é a dimensão que o assunto tomou nas últimas semanas e o quanto esse tema invade nossos lares sem que possamos optar se queremos ou não que a questão seja parte integrante do nosso dia a dia.

Que uma coisa fique clara, não tenho absolutamente nada contra o homossexualismo ou relacionamentos homoafetivos pelo contrário, cada um tem o direito de ser feliz como desejar. Acontece que a coisa extrapolou e a minoria se manifestou de tal forma que nossos filhos vão ter que encarar certas questões precocemente ou seja, assuntos como a homossexualidade estarão no cotidiano das crianças antes do tempo. Antes que possamos instruí-las em casa pois cada um conhece o “timing” do próprio filho... a minha faz 7 anos esse mês e eu ainda conto a estória da Cinderela. Cada um na sua! Eu iria me sentir profundamente agredido se mostrassem o material do famoso “Kit Gay” que o Ministério da Educação preparou para os alunos da rede pública, para uma criança que não tem entendimento algum sobre sexualidade ou relacionamentos. Pra que essa imposição? O que está havendo? Por que essa minoria (segundo o IBGE e o seu censo “pingado”, 0,17% dos casais) tem tanta voz? Será que eu vou ter que apoiar o Bolsonaro? Quando instituírem cotas para homossexuais, vamos todos marcar um X nessa opção sexual para sermos beneficiados e amparados pela lei?

Vou iniciar um projeto pela criação de uma lei contra a discriminação do meu grupo. Ah! Também quero cotas para entrar na universidade. Afinal não somos os ECOCHATOS? Não somos sempre alvo de críticas e chacotas por parte de quem tem interesse na manutenção do desrespeito aos ambientes naturais? Eu também quero gritar e ter leis me amparando porque sei que nem sou tão minoria quanto os homossexuais e nunca estou com humor pra aturar os piadistas que acham que os assuntos que consideramos de máxima importância são banais! Quero que os ecofóbicos vão pra cadeia amparados pela Lei Alexandre Biancatto de 20 de maio de 2011...

Nenhum comentário:

Postar um comentário